quinta-feira, 30 de outubro de 2008

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Leds movimentam US$ 5 bilhões no mundo

Os Leds estão evoluindo tão rapidamente que ameaçam transformar as lâmpadas incandescentes em peça de museu. Por economizarem até 90% de energia em relação à lâmpada comum, não emitirem calor e terem duração de 20 a 30 vezes maior, os Leds estão movimentando US$ 5 bilhões no mundo e a previsão é de que até 2012 atinja US$ 11,4 bilhões. A "luz digital" permite que a Torre Eiffel, o Big Ben ou a Ópera de Sidney fiquem iluminados a noite inteira sem grandes gastos de energia ou maiores impactos ambientais. Por aqui, os melhores exemplos são a Sala São Paulo e a Ponte Estaiada. Mas a grande amostra das potencialidades da tecnologia, patrocinada pela Philips, foi o Cubo DÁgua nas Olimpíadas de Pequim. Com o uso de LEDs, o centro aquático foi transformado em um gigante painel eletrônico, emitindo um espetáculo de cores, luzes e formas. "Estamos vivendo o momento mais excitante desde a invenção da lâmpada", afirmou o presidente mundial da Philips Lighting, Rudy Provoost. Divisão de iluminação do grupo holandês, a Philips Lighting fatura 7 bilhões de dólares ou 25% das receitas do grupo. "O Led é a digitalização da luz. Permite iluminar qualquer superfície e, como um chip, você pode adicionar conteúdo", disse. Nos últimos dois anos, a Philips investiu 10 bilhões de dólares em aquisições, sendo que 40% disso foi para aquisições de oito empresas de ponta na área de Leds. "Isso dá uma dimensão da importância do negócio para nós", afirmou Provoost. A mais importante das aquisições foi a da Genlyte, nos EUA, por 2,7 bilhões de dólares. Com a compra, a divisão de iluminação da Philips ultrapassou a da GE nos EUA. Apesar de ter inventado a lâmpada elétrica no século 19 e o Led vermelho do sinal de "stand by", nos anos 60, a GE ficou muito tempo sem explorar esse mercado, só retornando em meados da década. Hoje a GE Lumination fatura cerca de 4 bilhões de dólares e, na parte dos Leds, está focada em três áreas industriais: semáforos, refrigeração (iluminação de gôndolas de refrigeração de supermercado) e comunicação visual (substituindo neons em fachadas comerciais). "Nosso foco sempre foi mais na economia e ganhos para o cliente do que no embelezamento", disse o gerente comercial da GE Consumer & Industrial do Brasil, Rodrigo Elias. Hoje 3% do faturamento da GE Brasil vêm de iluminação, mas a popularização dos Leds deverá elevar essa participação para 12% em três anos. "Devemos introduzir produtos para iluminação pública a partir de 2010." O preço da nova tecnologia ainda é um inibidor, mas fabricantes como Philips e GE se encarregam dos cálculos a respeito do retorno dos investimentos. Estima-se que 20% da energia consumida no mundo seja destinada à iluminação. Com a popularização do Led, esse consumo pode ser reduzido à metade. A Philips já colocou no mercado um Led em formato de lâmpada convencional, ainda não disponível no Brasil. Entretanto, devido ao custo, a popularização do produto não deve acontecer antes de 2015 ou 2020, segundo a GE. A partir de luzinhas vermelhas, verdes e azuis, o Led permite colorir ambientes em inúmeras cores. Mas a luz branca ainda não é capaz de reproduzir fielmente o tom da luz incandescente ou de uma lâmpada halógena. "As pequenas potências dos Leds ainda limitam o seu uso em áreas internas e os Leds brancos de tonalidade amarelada, similares às lâmpadas incandescentes, ainda são menos eficientes e caros", disse o arquiteto Carlos Fortes, do escritório de iluminação Franco & Fortes Lighting Design. É apenas uma questão de tempo. Enquanto a lâmpada incandescente praticamente não evoluiu desde sua invenção por Thomas Edson em 1879, o LED tem dobrado sua eficiência e potência a cada 36 meses. Nas lojas da Rua Santa Ifigênia, no centro de São Paulo, já é possível encontrar muitos produtos feitos de Led, como os cordões de Led. Entretanto, a falta de normas estabelecendo padrões de eficiência e potência pode confundir o consumidor. "Produtos de qualidade discutível estão invadindo o mercado", afirma o luminotécnico Plínio Godoy, da Luz Urbana Engenharia.

terça-feira, 9 de setembro de 2008

PROGRAMAÇÃO, Iº RS LUZ: SETEMBRO DE 2008.

Dia 16

18:00h - Homenagem: Marga Ferreira.
18:30h – Exposição de fotografia.

Dia 17

Manhã:
9:00h - Laboratório de medição, Leds e lâmpadas: Beto Ramos.
10:30h Avaliação e debates: Maurício Rosa, Betinho, Treme, Gerry, Bandarra E Público presente....

Tarde:
14:00h -Teatro de Sombras: Alexandre Fávero .
15:00h – A Iluminação sob a Ótica do Diretor: Nilton Filho.
16:00h - Criação da Luz no Teatro: Acosta.

17:00h - Mesa redonda, processo criativo: Coordenação Claudia De Bem .

Dia 18

Manhã:
9:00h - Movings: Treme e Daniel.
10:30h - Avolite: Rubens.

Tarde
14:00h - Iluminação e Tecnologia de Ponta: Bandarra.
15:00h - Espetáculos de Som e Luz: Gerry .
16:00h - Eng. Da Ceee: segurança e aterramento.

17:00h Mesa Redonda, situação do mercado de trabalho:Coordenação Maurício Rosa, Entidades e convidados.

ENTRADA FRANCA: Doação de 1 livro novo, ou usado em bom estado. Não pode ser material didático.

LOCAL: Centro Cultural CEEE Érico Veríssimo.
Rua dos Andradas, 1223
Porto Alegre - RS

CONTATOS e INFORMAÇÕES:

Maurício Rosa: 051 99169897
051 84080902
1.rs.luz@gmail.com

Programa de Estágio da Philips 2009

A partir de quarta-feira, dia 10 de setembro, estarão abertas as inscrições para o Programa de Estágio da Philips 2009. Para participar, o estudante deve ter previsão de conclusão do curso entre julho e dezembro de 2010 em áreas variadas. As vagas são para o escritório central da empresa, em São Paulo, e para as unidades de Capuava, Alphaville e filiais de vendas por todo o Brasil.

Atualmente, cerca de 160 estagiários fazem parte do quadro da empresa em todo o país e, em 2007, 45% dos estagiários foram efetivados em diversas áreas.
Os interessados devem se inscrever no site www.philips.com.br/carreiras entre 10 de setembro e 5 de outubro.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Workshop On-Line de LEDs e sua aplicação na Iluminação Arquitetural


Este Workshop On-Line tem por objetivo, esclarecer todas as dúvidas sobre a tecnologia de LEDs e sua aplicação na Iluminação Arquitetural:


Introdução à Tecnologia e seus Segredos;
Classificação de BINs, Tipos de LEDs e Fabricantes;
Temperatura de Cor, IRC e Cores;
Fluxo Luminoso, Eficiência Luminosa e Curvas CDL;
Lentes, Fachos de Abertura e Dissipação Térmica;
Fontes, Drivers, Eletrônica e Controles;
Instalação Elétrica e Civil;
Equipamentos, Tendências e Aplicação na Arquitetura;
Sustentabilidade, Aspectos Ecológicos e muito mais...

Inscrições: http://www.iluminacaoarquitetural.com.br/

Autores:

Alexandre Gois
Engenheiro, Téc. Eletrônica, Especialista em Cor, Experiência de 15 anos na fabricação de luminárias, Participação em feiras internacionais desde 1997 e 10 anos dedicados à tecnologia de LEDs.


Alexandre Rautemberg
Arquiteto, MBA em Marketing focado no mercado de Iluminação, Designer de Luminárias LEDs, Participação em feiras internacionais desde 2004 e 8 anos dedicados à tecnologia de LEDs.

Você receberá ainda as Ferramentas:
Cálculo de Condutores Elétricos;
Tabelas, Gráficos, etc;
Curvas CDL de LEDs;
Cálculo luminotécnico
Links para Catálogos de Fabricantes.

Este curso é destinado a arquitetos, designer de interiores, engenheiros, especificadores, instaladores elétricos, lighting designers, lojistas e todos aqueles que se dedicam a Iluminação Arquitetural.


Obs: Os organizadores poderão, sem aviso prévio, alterar o conteúdo programático, bem como datas, horários ou quaisquer itens que se relacionem com o workshop para seu melhor desempenho. Copyright 2008 © Iluminação Arquitetural - Todos os direitos reservados.


contato@iluminacaoarquitetural.com.br

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Processo Seletivo para a função de CENOTÉCNICO - Unicamp

O Instituto de Artes / Unicamp, através da sua Diretoria, torna pública a entrega de
currículos para a participação no Processo Seletivo para a função de
CENOTÉCNICO,
para atuar junto ao Departamento de ARTES CÊNICAS do Instituto de Artes/UNICAMP.
I – Instruções Especiais:
1.
O Processo Seletivo destina-se ao preenchimento de 01 (uma) vaga na
função de
CENOTÉCNICO, através de contratação temporária, até o prazo
de máximo de 02 (dois) anos, conforme art. 443 § 1º e 2º e 445 da CLT.
2. A função será preenchida sob o Regime da Consolidação das Leis do
Trabalho (CLT), em jornada de trabalho de 40 horas semanais, podendo
variar para os períodos diurno, noturno, misto na forma de revezamento ou
escala de serviços.
3.
O salário inicial será de R$ 1.582,92 correspondente a referência 12 da
Carreira de Profissionais de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão da
Unicamp.
II – Requisitos:
Obrigatórios:
1. Escolaridade: Ensino Médio Completo
2. Experiência comprovada em atividades na área de montagem e confecção
de cenários, adereços e mobiliários teatrais.
III – Condições para a participação:
1. Ser brasileiro nato ou naturalizado ou cidadão português a quem foi deferida
a igualdade, nas condições previstas pelo Decreto Federal nº 70.436/72;
2. Ter idade mínima de 18 anos;
3. Estar em dia com as obrigações eleitorais e militares, cuja comprovação
será solicitada na contratação;
4. Ter boa conduta comprovada através de antecedentes criminais, cuja
comprovação será solicitada na contratação;
5. Possuir os requisitos estabelecidos no item II do presente Edital.
IV - Da entrega de currículos:
1. A entrega de currículo deverá ser feita no período de 18 a 19 de agosto de
2008, das 09h00 as 12h00 e das 14h00 as 17h00 na Secretaria da Diretoria
do Instituto de Artes - IA, à Rua Elis Regina, 50 – Cidade Universitária
"Zeferino Vaz" – Barão Geraldo – Campinas - SP.
Anexos ao currículo deverão ser entregues os seguintes documentos:
a) Cópia do documento de identidade;
b) Demais documentos comprobatórios das informações
prestadas no currículo.
Universidade Estadual de Campinas
Instituto de Artes - IA
Processo Seletivo - Edital nº 01 /2008
Processo n
° 17-P-203992008
2. No ato da entrega do currículo não serão verificados os comprovantes das
condições de participação anexos no mesmo, no entanto o candidato que
não comprovar será eliminado do Processo Seletivo.
V– Das Avaliações:
O Processo Seletivo constará das seguintes etapas:
1. Análise de Currículo – Será avaliado na escala de 0 a 10 sendo considerado
habilitado para a entrevista o candidato que obtiver nota igual ou superior a
5,0;
2. Entrevista - Será avaliada na escala de 0 a 10 sendo considerado habilitado
o candidato que obtiver nota igual ou superior a 5,0;
3. A nota final será a média aritmética dos pontos obtidos em cada uma das
avaliações;
4. Os candidatos habilitados serão classificados de acordo com a nota final;
5. O resultado da análise do currículo e a convocação para a realização da
entrevista serão divulgados no dia 22/08/2008, na página do Instituto de
Artes da Unicamp (www.iar.unicamp.br).
6.
O resultado final do Processo Seletivo será divulgado através de edital no
site da DGRH (
www.dgrh.unicamp.br), na página do Instituto de Artes e no
Diário Oficial do Estado - DOE em data a ser divulgada quando da realização
da entrevista.
7. O candidato deverá observar rigorosamente os editais e os comunicados
divulgados.
VI – Dos procedimentos da contratação:
1. A convocação para contratação obedecerá a rigorosa ordem de classificação
dos candidatos;
2. O candidato deverá:
a. Gozar de boa saúde física e mental, estando apto sem qualquer
restrição no exame médico realizado pela UNICAMP;
b. Apresentar cópias do comprovante de votação e do certificado de
reservista e original do comprovante de antecedentes criminais;
c. Apresentar demais documentos necessários à contratação.
V – Disposições Finais:
1. O não comparecimento às convocações ou ainda a não apresentação da
documentação exigida excluirá o candidato automaticamente do processo
seletivo.
2. A validade deste Processo Seletivo será de 01 (um) ano, podendo ser
prorrogado a critério da Diretoria do Instituto de Artes.
3. A participação do candidato no Processo Seletivo implicará no conhecimento
das presentes instruções e no compromisso de aceitação das condições
estabelecidas no presente edital.
Campinas, 13 de agosto de 2008.


--
Valmir Perez
Lighting Designer
Laboratório de Iluminação
Unicamp
www.iar.unicamp.br/lab/luz
http://valmirperez.blogspot.com/
http://imprensanaprensa.blogspot.com/
Skype: lablux
Fones:
(19) 35212444
(19) 92229355 _______________________________________________
Dicasdeiluminacao-l mailing list
Dicasdeiluminacao-l@listas.unicamp.br
http://www.listas.unicamp.br/mailman/listinfo/dicasdeiluminacao-l

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

CLD – CAMPINAS LIGHTING DESIGNERS

CONVITE


O design de iluminação contemporâneo, por ser um ramo de atividade cuja evolução tecnológica, de conceitos e soluções encontra-se em desenvolvimento vertiginoso, solicita dos profissionais da área uma constante reciclagem de conhecimentos.
Nesse universo de trabalho, estudo e pesquisa, a boa relação entre profissionais, estudantes, lojistas, fabricantes, etc. acaba se tornando também uma ferramenta poderosa de aprendizado e reciclagem de conhecimentos. Vale notar, que mesmo num mercado extremamente competitivo, como é o mercado do design de iluminação nas grandes cidades brasileiras, não podemos de forma alguma descartar as atitudes colaboracionistas, que certamente sempre trouxeram e trarão outros “ganhos” e “lucros” no que tange, por exemplo, às facilidades de comunicação entre grupos com mesmos propósitos e disposições.
Com esses objetivos, surge através da iniciativa de alguns profissionais, lojistas, estudantes, etc. o grupo CLD – Campinas Lighting Designers, que visa à integração, troca de conhecimentos e informações, pesquisa e fortalecimento das relações profissionais entre designers de iluminação.
Mas o LCD não pretende ser um grupo restrito. Pelo contrário, quanto maior o número de pessoas que queiram participar dessa iniciativa, mais e melhor poderemos fortalecer essas relações e contribuir para uma cultura da iluminação, dentro e fora de nossa região metropolitana. Esperamos também a contribuição de profissionais de outras cidades e estados.
Os interessados que quiserem fazer parte dessa comunidade podem se inscrever através da plenária virtual do grupo, no endereço http://groups.google.com/group/campinasld ou enviando solicitação de inscrição através do endereço de e-mail: campinasld@googlegroups.com
Todos estão convidados e serão bem vindos para somar suas experiências e fazer desse grupo um grande núcleo de aprendizados e amizades.


Valmir Perez
Lighting Designer
Laboratório de Iluminação
Unicamp
www.iar.unicamp.br/lab/luz
http://valmirperez.blogspot.com/
http://imprensanaprensa.blogspot.com/
Skype: lablux
Fones:
(19) 35212444
(19) 92229355

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

OFICINA DE ILUMINAÇÃO EM SÃO PAULO

Abordando a utilização da luz em espetáculos de teatro, música e
dança. Aprendizado básico da prática da iluminação. Mapa e roteiro
de luz. Agrupamento e cores. Aulas expositivas com slides, vídeos
e exercícios. Equipamentos e acessórios. Amostragem de lâmpadas
dos anos 40 aos anos 90. Tabela de fios, de cor/luz e cor/pigmento.
Montagem de cena. Inclui apostila.
Há trinta e oito anos Nezito Reis encontra-se envolvido com o teatro.
Desses, trinta e dois anos foram dedicados ao estudo e pesquisa
de Iluminação Cênica, primeiro no Movimento Teatral Amador, no
início do ano de 1970, e depois a profissionalização, a partir dos
teatros do Bixiga e TUSP (Teatro da Universidade de São Paulo).
Dessa trajetória conseguiu estabelecer um método de ensino e de
transmissão de conhecimentos básicos e avançados acerca de
Iluminação Cênica, sendo um dos poucos em São Paulo
preocupados em passar suas experiências adiante.


com Nezito Reis


2ª Turma de 2008
setembro: dias 20 e 27
outubro: dias 4, 11, 18 e 25
novembro: dias 1º, 8, 22 e 29
sábados, das 10h às 13h
Inscrições abertas


Informações:

Teatro Ágora
Rua Rui Barbosa, 670 - Bela Vista
Tel: (11) 3284-0290

Empreendimentos verdes ganham cada vez mais espaço em São Paulo

O setor da construção civil está cada vez mais se adequando aos conceitos de sustentabilidade que estão se impondo em todos os setores da economia. Várias empresas, que vão de serviços de consultoria a grandes construtoras de imóveis, tanto comerciais quanto residenciais, vão, aos poucos, desenvolvendo expertise nessa área, em um movimento que ganhou força nos últimos cinco anos.Os conceitos de sustentabilidade em edificações incluem eficiência do uso de água e de energia, tratamento de resíduos, uso de materiais certificados, reciclagem de materiais, conforto ambiental interno para os futuros ocupantes e diversas outras medidas que garantam economia para o usuário final e preservação do meio ambiente antes, durante e após a obra.Alguns empreendedores preocupam-se em requerer certificados que atestem a sustentabilidade da obra, como o LEED (Leadership in Energy & Environ-mental Design), que é concedido pelo US Green Building Council (GBC), com sede em Beverly Hills, nos Estados Unidos, ou o AQUA (Alta Qualidade Ambiental), resultado de uma parceria entre a Fundação Vanzolini e o instituto francês Centre Scientifique et Technique du Bâtiment (CSTB). Outros apenas adotaram conceitos sustentáveis como filosofia empresarial e incorporam essas idéias no dia a dia de seus negócios.Todo esse cuidado ambiental acaba resultando em aumento de custos nas obras, impactando também no preço final do imóvel. Os empreendedores, entretanto, defendem que o aumento do custo é compensado depois da ocupação do imóvel, com a redução dos gastos operacionais gerada pelas medidas de economia previstas nos projetos. "A obra é mais cara mas a operação é mais barata", afirma Luiz Henrique Ceotto, diretor de design e construção da Tishman Speyer. Ele calcula que uma edificação sustentável pode ter custos de construção de 4% a 8% mais altos que uma obra convencional, mas afirma que esse método gera uma economia de 30% a 35% nos custos operacionais, como água e energia elétrica, o que pode ser pago em dois a três anos.A incorporadora Tishman Speyer está com dois grandes empreendimentos comerciais em processo de certificação para conseguir o selo LEED: o Rochaverá, em São Paulo, em parceria com a construtora Método, e o Ventura, no Rio de Janeiro, que tem como parceira a Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário (CCDI). No Ventura Corporate Towers foram adotados itens como vidros especiais na fachada para minimizar a troca de temperatura e conseqüentemente reduzir o consumo de ar condicionado além de diversas outras exigências do GBC como uso de materiais recicláveis na obra e madeira certificada pelo Forest Stewardship Council (FSC).A incorporadora Ecoesfera desenvolveu um sistema de construção padronizada para imóveis residenciais, os chamados Ecolife que envolvem até 16 itens diferentes de sustentabilidade. "Isso nos viabilizou a trabalhar com ganho de escala", explica Luiz Fernando Lucho do Valle, presidente e fundador da Ecoesfera. São três produtos padronizados em três faixas diferentes de preços. Os edifícios com marca Ecolife têm apartamentos com preços de venda de R$ 210 mil a R$ 400 mil e agregam 16 conceitos de sustentabilidade. Os prédios chamados Ecoway, que têm apartamentos entre R$ 110 mil e R$ 200 mil, incorporam 12 itens sustentáveis e os da marca Ecoone, com unidades que vão de R$ 80 mil a R$ 100 mil, têm nove aspectos de sustentabilidade. Dois empreendimentos da marca Ecolife estão em processo de certificação para receber o selo LEED, segundo Valle.A Ecoesfera agrega itens à construção que, na prática, encareceriam a obras, mas Valle explica que a empresa faz parcerias e consegue negociar os preços nas compras dos materiais em escala. Um desses itens é a esquadria das janelas com persianas de alumínio que se abrem 100% permitindo vão inteiro livre para entrada de iluminação natural. "Isso faz uma diferença enorme para quem vai morar lá", afirma o empresário, destacando nesse item o conforto ambiental, maior ventilação dos cômodos, evitando uso de ar condicionado, e maior iluminação natural, reduzindo consumo de energia elétrica.O fundador da Ecoesfera destaca, entretanto, que o lado mais louvável do trabalho da empresa foi a criação do Instituto Ecomoradia que desenvolve trabalhos de educação ambiental nas comunidades onde a construtora atua para despertar a conscientização dos cidadãos para a responsabilidade de todos em relação ao meio ambiente e à sustentabilidade. No ano passado a Merryll Lynch adquiriu 50% da Ecoesfera Participações, que é a holding do grupo que agrega a Ecoesfera Empreendimentos Sustentáveis, a Ecohome Construções Sustentáveis e a E-home Consultoria Imobiliária.A RMA Engenharia, responsável pela obra do laboratório Delboni que foi o segundo empreendimento a receber o Leed no Brasil – o primeiro foi a agência do Banco Real em Cotia, região metropolitana de São Paulo – especializou-se em obras sustentáveis e tem uma engenheira em sua equipe que é certificada pelo LEED americano como habilitada a desenvolver projetos sustentáveis. Segundo Renato Auriemo, sócio da RMA, os maiores desafios que a empresa enfrentou nessa área foram os de conseguir parceiros qualificados e aptos a participar do processo e mudar a cultura dentro da própria empresa. Uma das maiores vantagens desse segmento, segundo Auriemo, é o ganho de imagem para o cliente que vai ocupar uma edificação sustentável. A RMA está com mais dois projetos sustentáveis em estudo.A incorporadora Esser fez seu primeiro projeto sustentável no bairro de Vila Nova Conceição, um alto padrão com apartamentos de R$ 3 milhões que incorporou conceitos de sustentabilidade como captação da água da chuva em um poço de retenção para ser reutilizada nos jardins, descargas e lavagem dos carros dos futuros moradores. Além disso não será usado cloro no tratamento da água. Ao invés disso foi instalado um aparelho na entrada da caixa d''água para ozonizar a água que vai ser usada desde a piscina até as torneiras e chuveiros. O aquecimento será solar com uma bomba de recirculação da água para que os moradores não precisem deixar a água escorrendo por um longo período antes que a água quente chegue em suas torneiras. Segundo Maurício Ribeiro, gerente de marketing da Esser, todo o material usado no apartamento modelo do plantão de vendas foi reciclado ou doado a uma ONG (Organização Não Governamental).A Torre SP, prédio comercial que faz parte do "Complexo JK" e que foi vendida em junho pela WTorre Empreendimentos para abrigar a nova sede do banco Santander, também está em processo de certificação para receber o LEED. Segundo Rosa Pezzini, gerente e desenvolvimento de produtos e arquitetura da WTorre, a empresa tem outros quatro empreendimentos em fase de certificação, mas ela destaca que mesmo nas obras que não entraram com pedido para receber o LEED a empresa igualmente adota conceitos sustentáveis como reciclagem e redução de desperdício de materiais durante a obra.
Fonte: Gazeta Mercantil

sábado, 2 de agosto de 2008

quinta-feira, 24 de julho de 2008

PÓS GRADUAÇÃO EM ILUMINAÇÃO E DESIGN DE INTERIORES


CURSO DE ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL - PORTO ALEGRE-RS

Ministrado por MAURI LUIZ DA SILVA
Local: Escola DENISE GOLDMAN
Rua Mathias José Bins, 530 - PORTO ALEGRE-RS
Informações: 51-3334.5033
Início : 19 de Agosto
Horário: 19:30 / 22:00 horas
Duração: 6 Terças-Feiras
Curso abrangente: Desde a história de Iluminação Artificial, produtos, aplicações, até os mais modernos sistemas de iluminação, como DALI, , passando por projetos em geral, de fachadas, interiores, comercial, paisagística etc, sendo indispensável para quem quer aprender sobre luz e especialmente para quem quer se especializar na matéria, sejam arquitetos, engenheiros, decoradores, eletricistas...
Sem pré-requisito.
Curso tem como base o livro; LUZ, LÂMPADAS & ILUMINAÇÃO , que o aluno recebe, incluso na inscrição.

terça-feira, 22 de julho de 2008

Responsável pelo projeto da maior Ilha artificial do mundo vem ao Brasil

Responsável pelo projeto da maior Ilha artificial do mundo vem ao Brasil

O dinamarquês Thomas Gierlevsen, que atua no maior escritório de engenharia do mundo, vem pela primeira ao Brasil. Ele será um dos palestrantes do ARCHITECTOUR 2008, evento que já está sendo considerado por especialistas o maior de arquitetura para o turismo das Américas


O engenheiro dinamarquês Thomas Gierlevsen, que atua no grupo COWI, empresa de consultoria líder no domínio de engenharia costeira e marinha, acaba de confirmar sua vinda ao Brasil. É a primeira vez que Gierlevsen vem ao país e o destino é a capital catarinense. Ele será um dos conferencistas do ARCHITECTOUR 2008 - Seminário Internacional de Arquitetura para o Turismo, que vai acontecer nos dias 7 e 8 de agosto, no Centro de Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, em Florianópolis.

O engenheiro é famoso por ser o responsável pela luxuosa “The-Pearl-Qatar” (a perola Catar), uma porção de terra de aproximadamente 4 km quadrados, a 20 km de Doha, capital do Qatar. A primeira fase do projeto, a região do Porto Arábia, deve ser concluída ainda este ano e a previsão é que até 2011 a obra esteja finalizada. Depois de pronta, a Ilha que será ligada ao continente por meio de uma ponte de 355 m e oito pistas, vai oferecer o que há de melhor em consumo de luxo no mundo. Terá apartamentos e moradias para cerca de 40 mil habitantes, hotéis e atrações turísticas.

De acordo com Hamilton Lyra Adriano, organizador do Seminário, o fato do evento ter como cidade sede uma Ilha, Santa Catarina, foi um dos motivos que levou o engenheiro a aceitar o convite. “Gierlevsen ficou encantado com a possibilidade de conhecer a capital catarinense. Sem dúvida ele apresentará alternativas que irão contribuir não só para o planejamento da cidade, como também para outras metrópoles brasileiras”, comenta.

Além de Gierlevsen, outro ilustre palestrante é o arquiteto chinês Chien Chung Pei, que também vem pela primeira vez ao Brasil. Pei participou da elaboração do projeto da pirâmide de vidro do Museu do Louvre, em Paris. Outro destaque é o casal francês Elisabeth e Christian de Portzamparc, referências na questão de sustentabilidade. Entre as obras mais conhecidas dele estão a Torre LVMH em Nova York, edifícios habitacionais no Japão e a embaixada da França em Berlim. Ela é responsável pelo projeto arquitetônico do novo principiado de mônaco.O argentino Rubén Pesci e os arquitetos Máximo Rumis e Marcela Leiva, ambos da DPZ Latin América, maior escritório de planejamento urbano do mundo, também confirmaram presença no evento.

O Architectour 2008, que está sendo considerado por especialistas da área o maior evento de arquitetura para o Turismo das Américas, vai debater assuntos como: urbanismo e qualidade de vida,novas arquiteturas no desenvolvimento das atividades turísticas, revitalização das cidades para o turismo, cases de sucesso no planejamento urbano ao redor do mundo e políticas públicas para a sustentabilidade. O Seminário é voltado para ambientalistas, geógrafos, engenheiros, turismólogos, historiadores, designers, administradores públicos, entre outros. Outras informações e a programação completa podem ser obtidas no site www.architectour.com.br

Serviço
O que: ARCHITECTOUR 2008 - Seminário Internacional de Arquitetura para o Turismo
Quando: 7 e 8 de agosto
Onde: Centro de Convenções da Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC
Site Oficial: www.architectour.com.br

terça-feira, 15 de julho de 2008

Raios laser em show danificam a retina de 30 jovens

Raios laser em show danificam a retina de 30 jovens
Trinta jovens sofreram queimaduras na retina em função do impacto de raios laser usados durante um show de música eletrônica na região de Vladímir, na Rússia, segundo informa nesta segunda-feira a agência EFE.
Alguns dos jovens perderam até 80% da visão, capacidade que, ao que tudo indica, nunca poderá ser recuperada, de acordo com fontes hospitalares ouvidas pela imprensa russa.
A chuva registrada na localidade no dia do show obrigou os organizadores a cobrirem o local com uma lona para que os canhões não fossem posicionados diretamente para o céu.
Porém, os presentes não foram alertados do perigo causado pelos potentes raios e em nenhum momento protegeram os olhos. Depois do show, muitos jovens reclamaram que suas câmeras digitais de foto e vídeo tinham sido danificadas pelos raios.
Os familiares das vítimas pediram indenizações, os organizadores não responderam à agência EFE e as autoridades disseram que nunca receberam solicitação de autorização para que o evento fosse realizado.
Elena Gríshina, chefe do Hospital Oftalmológico de Moscou, disse à agência Interfax que 12 pessoas que assistiram ao show e procuraram atendimento médico no local foram afetadas pelos raios. Um dos pacientes afirmou que foi cegado pelo laser e, como a visão não voltou ao normal no dia seguinte, procurou auxílio médico.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Certificação em NR10 - Segurança em Instalações

O IATEC - Instituto de Artes e Técnicas de Comunicação - estará oferecendo o curso "Certificação em NR10 - Segurança em Instalações ", com carga horária de 40 horas, a partir do dia 28 de julho.

O curso contará com os seguintes módulos:
- Identificação e controle de riscos
- Primeiros socorros
- Proteção e combate a incêndio
- Normas técnicas

Informações pelo site www.iatec.com.br pelo endereço de e-mail iatec@iatec.com.br ou ainda pelos telefones (21) 2493 9628 e (21) 2486 0629

O Iatec fica situado á Av. Érico Veríssimo, 999 - Cobertura 302 - Rio de Janeiro - RJ

sexta-feira, 13 de junho de 2008

OFICINA DE ILUMINAÇÃO 2008 - Porto Alegre RS

ONDE E QUANDO:

A Oficina acontecerá dias 14, 15, 16, 21, 22 e 23 de julho de 2008,
das 14 h às 19 h, nas dependências da Léo Kurylo:
Rua Guido Mondin nº 1117.


FORMATO:
A Oficina soma 30 horas, divididas em 6 encontros de 5 horas. A
parte teórica da Oficina é baseada em apresentações ilustrativas em
PowerPoint.
A prática propõe contato direto com equipamentos e tarefas.


INSCRIÇÕES:
As inscrição pode ser feita na secretaria da Léo Kurylo, pelo telefone
51 33425427, ou pelo .fale conosco. no site www.bbiluminacao.com.br.
O preço da inscrição é de R$ 300,00 pagos dia 14 de julho até o
início da oficina.
Será dada aos participantes, apostila com as matérias abordadas na
oficina e certificado de participação e aproveitamento, assinado pelo
oficineiro.


ARGUMENTO:
A iluminação cênica vem tomando espaço em todos os segmentos da
vida moderna, da arquitetura ao .designe., transcendendo as fronteiras do
espetáculo. Os recursos disponíveis para a idealização e execução de
projetos em iluminação são absurdamente abundantes, comparados há dez
anos atrás: equipamentos robotizados, mesas digitais que ampliam as
possibilidades de controle do projeto e as tecnologias de LED que invadem
o espetáculo de forma definitiva.
As novas tecnologias criaram rapidamente uma nova estética que
mantém afastada as formas convencionais e tradicionais de fazer luz,
promovendo algumas distorções.
Oferecemos uma OFICINA DE ILUMINAÇÃO, que tem como
objetivo maior a informação, reciclagem e o aprimoramento profissional
em iluminação cênica.


OBJETIVOS GERAIS:
Contribuir para o desenvolvimento das profissões ligadas a
Iluminação Cênica, valorizando a mão de obra técnica, qualificando seus
laudos.
Dispor a linguagem técnica em iluminação, aproximando técnicos e
artistas das novas tecnologias, sem perder vista das bases da profissão.
Estabelecer critérios de avaliação em projetos e equipamentos.


PÚBLICO ALVO:
A Oficina tem uma abordagem prática do mercado, acolhendo o
interesse de técnicos em iluminação, operadores de luz, iluminadores,
produtores, arquitetos, diretores, coreógrafos e pessoas interessadas em
ampliar sua visão sobre iluminação e infra-estrutura da produção cênica.


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
História da iluminação.
Palco italiano.
Refletores convencionais e suas funções básicas.
Eletricidade básica.
Procedimentos técnicos em instalações provisórias.
Segurança elétrica e estrutural.
Protocolo de comunicação e rede DMX 512.
Engenharia de luz e montagem de estruturas modulares.
Leitura e elaboração do projeto de luz.
Apresentação de mesas digitais.
Apresentação dos Moving Lights.
Equipamentos de LED.


COORDENAÇÃO:
A Oficina é conduzida e ministrada por Carlos Bandarra, profissional
com vasta experiência no mercado de iluminação de teatro, dança, shows e
eventos. Carlos Bandarra soma 35 anos de profissão, com várias oficinas
realizadas no RS e São Paulo, atualmente em atividade como consultor
técnico e iluminador.

Porto Alegre, 13 de junho de 2008.

Carlos Bandarra
51 30518107 - 93112312
bandarra@bbiluminacao.com.br
www.bbiluminacao.com.br

terça-feira, 6 de maio de 2008

PÓS GRADUAÇÃO EM ILUMINAÇÃO - IPOG

Pós – Graduação lato sensu
Iluminação e Desing de Interiores
Faculdades Oswaldo Cruz
OBJETIVOS

Formar profissionais no mercado de iluminação e design de interiores capazes de elaborar projetos de iluminação e arquitetura de interiores para residências e ambientes comerciais;
Qualificar o profissional para a consultoria em iluminação e design de interiores;
Qualificar o aluno para a pesquisa;

DISCIPLINAS
· Historia da Arquitetura, das artes e da iluminação Artificial – 20h
· Grandezas e Cálculos Luminotécnicos – 20h
· Fontes de Luz Artificial – 20h
· Percepção Visual – 20h
· Conforto Ambiental – 20h
· Metodologia de Pesquisa – 20h
· A luz sob controle – 20h
· Design de Interiores – 40h
· Design de Luminárias – 20h
· Luminotécnica – 20h
· Gestão de projetos – 20h
· Paisagismo interior e exterior – 20h
· Iluminação Cênica – 20h
· Projeto e representação Gráfica – 20h
· Sistemas de Iluminação com fibra óptica
· Iluminação de Interiores– 20h
· Iluminação de Exteriores – 20h
Carga Horária Total = 360h

INVESTIMENTO COM DESCONTO
DURAÇÃO/PERIODICIDADE
· Matrícula = R$160,00
· Mensalidade = R$490,00 (até a data venc.)
· 20% desc. Pontualidade = R$ 390,00.
· 18 Meses
· Um encontro mensal

INFORMAÇÕES E MATRÍCULAS

IPOG – Instituto de Pós-Graduação
www.ipoggo.com.br

SCN Qd.06 Ed. Venâncio 3000 Bl. A Sala 1.116 - ASA NORTE
Central de Atendimento:
(61) 3964 5101 Renan ou renan@ipoggo.com.br

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Ponte Estaiada em SP tem a mais avançada tecnologia em iluminação no mundo


Novo cartão postal de São Paulo, a Ponte Octavio Frias de Oliveira, também conhecida como "Ponte Estaiada" tem a mais avançada tecnologia em iluminação no mundo.

O projeto teve a responsabilidade da Luz Urbana, através do Eng. Paulo Candura e Lighting Designer Plinio Godoy e todos os equipamentos fornecidos pela PHILIPS.

Para a iluminação viária, foi utilizado luminárias Milewide que utilizam a solução Cosmópolis, um reator eletrônico que opera uma lâmpada que emite luz branca de altíssima eficiência ( mais eficiente que lâmpadas de Sódio ) e com excelente reprodução de cor, valorizando ainda mais a arquitetura.


Para a iluminação da face externa da torre, usamos os projetores mais eficientes do mundo, chamados Arena Vision, usados para iluminar quase todos os estádios utilizados para Copa do Mundo ao redor do mundo.


E para fechar o projeto com chave de ouro, na face interna da torre, usamos a projetores de LEDs chamados ColorBlast. Esses projetores permitem que a torre mude de cor, além de contar com uma vida útil que na prática, dura mais que 15 anos sem manutenção. Tudo isso consumindo menos energia que um chuveiro elétrico.


links:



quarta-feira, 16 de abril de 2008

LUZ DIURNA GRATUITA

video

Tijolos com fibra ótica


Arquiteto húngaro desenvolveu um tijolo com fibra ótica transversal que quando tem a incidência da luz natural transfere esta luz para seu interior projetando imagens na parede de acordo ao visual externo.

terça-feira, 25 de março de 2008

Faça iluminação!! NOVA TURMA 2008 - Bolsa para associados ABIL


Bolsa de estudos no valor percentual de 20% para os associados credenciados pela ABIL.


Contato:
Ricardo Lopes
Consultor de Iluminação
Coordenador do curso de pós-graduação em Projetos de Iluminação
Campus Terra Encantada - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - Brasil
Fixo: (21) 3410-7437
Movel: (21) 7842-6163
OI Estácio - (21) 8702-3097

quinta-feira, 20 de março de 2008

Curso Gestão Eficiente de Energia





A Efficientia S.A. é uma empresa Cemig. Isso significa mais de 25 anos de experiência em utilização de energia. A Cemig, desde a década de 70, vem desenvolvendo diversos programas de conservação e uso racional de energia em instalações de centenas de empresas industriais, comerciais e de serviços de Minas Gerais.
Para comprovar todo esse trabalho, a Cemig ganhou a maioria dos prêmios patrocinados pelo Governo Federal para as empresas que se destacam na execução de Programas de Eficiência Energética, prêmio concedido pelo Ministério de Minas e Energia.
Hoje, a competitividade das empresas não passa somente pela qualidade de seus produtos e serviços. É preciso garantir preços, atualização tecnológica, atendimento e recursos para constantes investimentos. Com isso, o uso eficiente de energia com conseqüente redução de custos diretos passa a exercer imprescindível papel em todos esses processos. Numa sociedade moderna que exige, cada vez mais, atitudes inteligentes e ecológicas, o trato com os recursos energéticos é uma diferença crucial das empresas no mercado.
Nesse momento muito adequado, a Efficientia, lançou um curso de aperfeiçoamento em Gestão Eficiente de Energia, com duração de 10 meses e carga horária de 190h aula equivalentes. O curso está aberto ao público em geral.
O diferencial do curso é de que será realizado integralmente via internet na modalidade de treinamento à distancia e estará disponível 24 horas por dia 7 dias por semana durante dez meses, de abril de 2008 a fevereiro de 2009. Essa modalidade permite que o curso seja realizado em qualquer parte do mundo que tenha acesso a um ponto da internet, sem a necessidade de viagens, hospedagem e custos de estadias (transporte e refeições).


No seguinte link:
http://www.universidatte.com.br/cursogee/informacoes.asp?codafi=08ABIL31735 você acessa o site do curso com explicações sobre disciplinas, investimento, forma de pagamento, corpo docente e outras.



As matérias que compõem o curso são:
Programa de Eficiência e Gestão Energética
Gestão de Projetos
O setor de energia e o Meio Ambiente
Legislação / Regulação do Setor
Comercialização de Energia - preços e tarifas
M & V - Medição e Verificação
Diagnóstico Energético
Viabilidade Econômica
Iluminação
Motores
Uso eficiente de vapor
Uso eficiente de ar comprimido
Uso eficiente de água
Trabalho final
Gestão Eficiente de Energia

Objetivo Geral
Capacitar e atualizar profissionais que trabalham ou tem intenção de trabalhar em instalações consumidoras de energia e que necessitam exercer o controle de seu consumo e custo, por meio do compartilhamento do conhecimento de diversos assuntos que influenciam nesse gerenciamento.

Público-alvo
Técnicos de nível superior ou com segundo grau que trabalhem ou irão trabalhar na gestão do uso de energia tais como:
Engenheiros
Consultores
Estudantes
Gerentes de energia
Membros de Comissões Internas de Energia – CICEs.
Gerentes de Manutenção
Técnicos, Coordenadores, supervisores e membros de equipes de manutenção.

Pré-requisitos
2º grau
Experiência na área
Conhecimento de conceitos básicos do setor energético.
Raciocínio Lógico.

Metodologia:
Modalidade de curso à distância com conteúdo adaptado para leitura atrativa e motivadora.
5 (cinco) módulos bimestrais.
Mínimo de 12 disciplinas.
Conteúdo multidisciplinar.
Exercícios de fixação.
Exemplos práticos.
Fóruns de discussão.
Resolução de dúvidas via internet.
Trabalho de final de curso.
Avaliações por disciplina.

Carga Horária:
190 horas. Não está considerado o tempo para o desenvolvimento do trabalho final, o qual dependerá de cada participante.
Período: Início: 04 de abril de 2008 – Término: 03 de fevereiro de 2009
Duração: 10 meses

Declaração para a Instituição Oficial da Profissão do Designer de Iluminação de Arquitetura

Em 27 de outubro de 2007, na cidade de Londres, Inglaterra, na sessão plenária da PLDC - The Professional Lighting Design Convention - Foi aprovada e proclamada a "Declaração para a Instituição Oficial da Profissão do Designer de Iluminação de Arquitetura"
O texto em língua portuguesa encontra-se abaixo e na coletância de arquivos do Laboratório de Iluminação, endereço http://www.iar.unicamp.br/lab/luz/ld/Diversos/Declaracao_portugues_01.pdf
O endereço do site da PLDA - Professional Lighting Designers' Association é o http://www.pld-a.org/31.0.html
Declaração para a Instituição Oficial da Profissão do Designer de Iluminação de Arquitectura.
Reconhecida e declarada em Sessão de Plenário da Convenção de Design de Iluminação Profissional (PLDC), em Londres, Reino Unido, a 27 de Outubro de 2007. A 27 de Outubro de 2007, a sessão de plenário da PLDC (a Convenção de Design de Iluminação Profissional) reconheceu e anunciou a
Declaração para a Instituição Oficial da Profissão do Designer de Iluminação de Arquitectura, conteúdo que consta no seguinte texto. No seguimento deste marco histórico, a sessão de plenário apela a todas as associações, organizações e publicações, directa e indirectamente relacionadas com a Iluminação, para que divulguem o texto da Declaração, e para que a publicitem junto de todas as instituições educativas, escolas dos diversos ramos do Design e dos cursos de Arquitectura e Engenharia, bem como junto dos respectivos membros dessas associações e instituições.
Prefacio
Reconhecido que está, que são as qualidades especificas, o conhecimento e o saber, a perícia e a experiencia que constituem a instituição da profissão; Visto que o conhecimento sobre Luz e Iluminação, sobre as suas ferramentas, o seu controlo e manipulação se desenvolveu de forma complexa e diversificada; Reconhecido que está, que o impacto que a Luz tem nos seres humanos é do elementar senso comum, e que tem hoje bem mais ramificações para alem da área visual e perceptiva, complexa esta à partida; Visto que as responsabilidades daqueles que lidam com o Design e a especificação de Iluminação para o ambiente humano se desenvolveram de forma muito significativa, Assim e consequentemente, a Sessão de Plenário da Convenção de Design de Iluminação Profissional anuncia que a
Declaração para a Instituição
Oficial da Profissão do
Designer de Iluminação de Arquitectura é um facto a ser oficializado por cada um dos Governos Nacionais e por todas as instituições internacionais que lidem com o reconhecimento de profissões e actividades independentes.
Artigo 1
O Design de Iluminação é a arte e ciência de Iluminar o ambiente humano. Designers de Iluminação são aqueles profissionais que têm a capacidade de aplicar esta arte e ciência a projectos, ajudando ao sucesso destes.
Artigo 2
O Design de Iluminação é uma profissão e uma disciplina distinta de todas as outras da área da Arquitectura, do Design de Interiores e de Equipamento, do Paisagismo, do Urbanismo bem como da Engenharia Electrotécnica.
Artigo 3
Os Designers de Iluminação são parte integrante do desenvolvimento do projecto de Arquitectura. Estes cooperam coordenando a sua actividade profissional junto das outras especialidades relevantes no mesmo projecto, actuando como garante do seu sucesso integral.
Artigo 4
Os Designers de Iluminação são responsáveis pelo design de uma parte do ambiente humano e assim responsáveis pela forma como esse mesmo design é apresentado e pelas suas consequências sobre o design de terceiros. São responsáveis pelo bem-estar das pessoas que usufruem destes espaços submetidos ao processo de design, pelo garante da forma adequada como se deverão sentir nestes espaços, pela eficácia dos utilizadores em levar a cabo tarefas de elevada exigência visual, bem como pela garantia de segurança, todas estas dentro dos limites de influencia que uma Iluminação submetida ao processo de design oferece, ao espaço e aos seus usuários, ou aos objectos iluminados e os seus utilizadores.
Artigo 5
Os Designers de Iluminação são tidos com responsáveis pela sustentabilidade do seu projecto de design.
Artigo 6
Os Designers de Iluminação não são parte da cadeia de fornecedores de um projecto de arquitectura, no entanto, estes tem uma forte ligação a este processo. Os Designers de Iluminação cooperam com todos os intervenientes desta cadeia, desde fabricantes, empreiteiros, representantes oficiais e instaladores, dentro dos limites do seu código de ética, com o objectivo de fazer beneficiar o utilizador final, o cliente e o projecto na sua totalidade.
Artigo 7
O Design de Iluminação tem todas as qualificações exigidas para o seu reconhecimento oficial. Este é leccionado a nível académico, é composto por massa critica de profissionais que o praticam, é sujeito a códigos de deontologia bem como a uma pratica profissional efectiva.

quarta-feira, 12 de março de 2008

Governo anuncia que teatros da rede estadual vão entrar na 'era digital'

Publicada em 11/03/2008 às 12h52m André Miranda - O Globo

RIO - Os teatros João Caetano, Villa-Lobos, Gláucio Gill e Laura Alvim terão sua capacidade de iluminação cênica ampliadas. A iniciativa faz partes de uma parceria entre a Funarj - órgão estadual que administra os teatros - e a Oi Futuro. A revitalização começa este mês e segue até abril, prometendo colocar os teatros na "era digital". O objetivo é que os novos equipamentos tragam praticidade e facilitem a montagem de espetáculos. Já os teatros da Zona Oeste - Armando Gonzaga, Arthur Azevedo e Mário Lago - receberão a troca do cabeamento do circuito de iluminação e a revisão de equipamentos. O investimento total é de R$ 170 mil, através da lei estadual de incentivo à cultura.

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

FONAI 2008


FORUM NACIONAL DE ARQUITETURA ILUMINAÇÃO E SUSTENTABILIDADE

Informações e inscrições: http://www.fonais.com.br/
(11) 4617 5114 / 4777 0867 / 7728 8399 / 8694 2293

Investimento: R$ 150,00

Locais:

Belém - 14 e 15 de maio
Vitória - 28 e 29 de maio
Goiania - 11 e 12 de junho
Maringá - 25 e 26 de junho
Florianópolis - 13 e 14 de agosto
Belo Horizonte - 16 e 17 de setembro
Porto Alegre - 23 e 24 de outubro
Rio de Janeiro - 12 e 13 de novembro

ILUME EXPO 2008 - 10 e 11 de março - SP


Não percam a Exposição e Conferência da Gestão de Iluminação Pública.

http://www.rpmbrasil.com.br/i8anuncio.htm

Descontos Especiais para associados ABIL.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Homenagem a Oscar Niemeyer - Patrono da ABIL

Oscar Niemeyer nasceu no Rio de Janeiro, em 1907. Considerado o mais importante arquiteto brasileiro deste século em função da quantidade e qualidade de obras construídas, iniciou sua carreira no escritório de Lucio Costa, em 1934, quando se graduou na Escola Nacional de Belas Artes.
A partir do instante em que substituiu Costa na coordenação do grupo que desenvolveu os estudos de Le Corbusier para o edifício-sede do Ministério da Educação e Saúde, no Rio de Janeiro, Niemeyer desempenhou o papel principal na corrente modernista que privilegiava a expressão plástica. Em 1947, o edifício-sede da Unesco, nos Estados Unidos, proporciona mais uma vez a Niemeyer a oportunidade de dividir com Le Corbusier o projeto definitivo que funde as propostas independentes de cada um dos arquitetos.

A influência corbusiana é notável nas primeiras obras de Niemeyer. Porém, pouco a pouco o arquiteto adquire sua marca: a leveza das formas curvas cria os espaços que transformam o programa arquitetural em ambientes inusitados; portanto, harmonia, graça e elegância são os adjetivos mais apropriados para o trabalho de Oscar Niemeyer. As adaptações que o arquiteto produziu conectando o vocabulário barroco ao modernismo arquitetônico possibilitaram experiências formais com volumes espetaculares, que foram concretizadas por calculistas famosos, entre eles o brasileiro Joaquim Cardoso e o italiano Pier Luigi Nervi.

A arquitetura de Brasília, prevista nos esboços com que Lucio Costa concorreu ao concurso internacional de projetos para a nova capital do Brasil, foi o impulso definitivo de Niemeyer na cena da história internacional da arquitetura contemporânea. As cúpulas côncava e convexa do Congresso Nacional e as colunas dos palácios da Alvorada, do Planalto e da Suprema Corte, configuram signos originais. Agregando-os às espetaculares formas das colunas da Catedral e dos palácios Itamaraty e da Justiça, Niemeyer encerra a perspectiva ortogonal e simétrica formada pelo ritmo repetitivo dos edifícios da Esplanada dos Ministérios.
O uso das estruturas em concreto armado em formas curvas ou em casca e as explorações inéditas das possibilidades estéticas da linha reta se traduziram em fábricas, arranha-céus, espaços para exposições, residências, teatros, templos, edifícios-sede de empresas dos setores público e privado, universidades, clubes, hospitais e equipamentos para diversos programas sociais. Desses temas sobressaem-se os seguintes trabalhos: a Obra do Berço e sua residência na Estrada das Canoas, no Rio de Janeiro; a fábrica Duchen, o edifício Copan e o Parque do Ibirapuera, em São Paulo; o conjunto arquitetônico da Pampulha, com o Cassino, o Restaurante e o Templo de São Francisco de Assis, em Belo Horizonte; o projeto para o Hotel de Ouro Preto (Minas Gerais), o Museu de Caracas (Venezuela), a sede do Partido Comunista (Paris), a sede da Editora Mondatori (Milão), a Universidade de Constantine (Argélia) e o Museu de Arte Contemporânea de Niterói (Rio de Janeiro).

A presença constante de Oscar Niemeyer no cenário da arquitetura contemporânea internacional, desde 1936 até os dias atuais, o transformou em símbolo brasileiro. Recebeu inúmeros prêmios e possui vasta bibliografia, onde se destacam títulos de sua autoria e de Stamo Papadaki, além de várias edições temáticas das principais revistas de arquitetura da França e da Itália. (Fonte: http://www.mre.gov.br).

video

Novidade - Litrosferas


A companhia MPK desenvolveu um novo material luminoso capaz de gerar luz constante por 12 anos sem abastecimento de energia elétrica. Baseado na chamada litroenergia, o novo material é composto de micropartículas luminosas chamadas litrosferas, atóxicas e baratas, chegando a substituir uma lâmpada incandescente de 20 watts, conforme pode ser lido no site Treehugger.

Criada com base em tecnologia betavoltaica, que utiliza como fonte de energia um gás radiativo, as litroesferas são manufaturadas de modo a produzir uma leve emissão de elétrons incapazes de penetrar o vidro ou a parede de polímero em que forem colocados, explicou o site Gizmodo.

A luz emanada pode ser projetada para brilhar em qualquer cor, além de poder ser moldada ou acrescentada à tinta. Para iluminar um pedaço de plástico de 21 por 27 centímetros, o material empregado custaria apenas US$ 0,35. A companhia prevê que o invento será utilizado primeiro em equipamentos de segurança.

Mais detalhes podem ser obtidas em tinyurl.com/28m98s.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

O início do fim das incandescentes


Fonte: Jornal O Debate - 01.02.2008

Brasil - Diversos países vêm implantando políticas de substituição de lâmpadas incandescentes por fluorescentes com o objetivo de promover a eficiência energética. A redução do consumo nesse campo tem impacto positivo sobre o meio ambiente, na medida em que são minimizadas as necessidades de geração de energia.

A Austrália, por exemplo, pretende interromper a venda de incandescentes até 2010 e proibir a comercialização de lâmpadas que não cumpram as metas de economia de energia. O Canadá deve banir a venda das lâmpadas tradicionais até 2012, como parte do plano de diminuir em 20% a emissão de gás do efeito estufa até 2020. Na Venezuela, o Governo substituiu 53 milhões de lâmpadas incandescentes por fluorescentes em mais de 95% dos domicílios. No Brasil, tramita no Congresso um Projeto de Lei proposto pelo deputado Arnon Bezerra (PTB/CE), de maio de 2007, que prevê a proibição da fabricação, importação e comercialização em todo o país de lâmpadas incandescentes a partir de 2010.

As distribuidoras de energia têm ainda um compromisso com a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) em investir uma porcentagem de seus faturamentos na compra e distribuição gratuita de lâmpadas fluorescentes compactas com Selo Procel para uso doméstico.

As lâmpadas fluorescentes são mais caras em relação às tradicionais (custo médio R$ 8,00), porém cerca de 80% mais econômica e com durabilidade dez vezes maior que a incandescente (um ano, em média). E, embora a fluorescente tenha um custo maior, em quatro meses pode-se recuperar o investimento. O restante da vida útil da lâmpada, portanto, representa lucro.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Formação Profissional e o mercado de trabalho em iluminação


Palestra ministrada por Jamile Tormann, no auditório do CREA/TO.
Dia 25 de março de 2008, das 19h30 ás 21h00.
Entrada Limitada. Favor confirmar presença pelo telefone (63) 9208.5577
Maiores informações pelo site http://www.iluminacao.arq.br/

Oliver-Rhoads recebem certificado LEED

Estados Unidos - A empresa americana de consultoria e engenharia Oliver-Rhoads & Associates recebeu o certificado LEED do U.S. Green Building Council (Conselho Americano de Edificações Verdes). Os sócios Tony Gipson e Tim Little passaram no exame LEED para novas construções e reformas.
A sigla LEED, que significa Leadership in Energy and Environmental Design (Liderança em Energia e Design Ambiental), é um sistema de classificação reconhecido nos Estados Unidos para empresas que realizam construções amigas do meio ambiente. O LEED enfatiza princípios em um edifício verde: sistema de água eficiente, eficiência energética e qualidade ambiental, entre outros.

Fonte: Nashville Business Journal - 21.01.2008

País adotará regras para reduzir uso de energia

Brasil - O governo está elaborando um novo conjunto de medidas para reduzir O consumo de eletricidade no país. Entre as ações está um decreto preparado pelo governo, por intermédio do Inmetro, que estabelecerá parâmetros de economia de energia para novos prédios comerciais e públicos.
Em discussão com o setor privado há cerca de quatro anos, a regulamentação ficará pronta ainda este ano e estabelecerá quais equipamentos e padrões arquitetônicos deverão ser utilizados pelas construtoras em novas edificações. O objetivo é que, integralmente implantado o plano (de médio prazo), deixe de ser consumida no país eletricidade suficiente para atender, por ano, 400 mil casas.
A inidativa é parte dos esforços que terão de ser empreendidos pela sociedade para atender às exigências de conservação de energia estabelecidas pelo governo. Pouquíssimos brasileiros sabem, mas em 2008, começa a valer a determinação do planejamento energético nacional de economizar, até 2030, o equivalente à geração de duas hidrelétricas de ltaipu ou ao consumo da Região Sul.
Imóveis da esplanada dos ministérios têm problemas
Outras medidas estão em curso. O Ministério do Planejamento está elaborando um decreto presidentlal que instituirá a obrigatoriedade de a União comprar apenas os equipamentos que mais poupam eletricidade. Já o Ministério de Minas e Energia e o Programa Nacional de Conservaçao de Energia Elétrica (Procel) começaram a trabalhar em um novo plano de eficiência energética, com ênfase na expansão do uso da energia solar.
Na área da construção civil, segundo a diretora do departamento de Desenvolvimento Energético do ministério, Laura Porto, as regras visam a por exemplo, estabelecer de acordo com o tamanho do empreendimento com o projeto arquitetônico poderá aumentar as áreas de ventilação natural, reduzindo o uso do ar-condicionado. Por exemplo, edifícios que abusam do material espelhado em seu acabamento tendem a ficar mais quentes. A proposta é estender o plano à construção de residências a médio e longo prazos.
- Serão verificadas três características: envelope (parte externa), sistema de iluminação e ar-condicionado. Se a edificação usa água quente, precisará ter aquecimento solar. Se tem mais de um elevador, terá de ser operado por controle inteligente .- explicou Paulo de Tarso Cruz, coordenador-geral de Eficiência Energética do ministério.
Os parâmetros - que vêm sendo costurados há quatro anos com a ajuda da academia - terão de ser considerados para a concessão do habite-se. Para Cruz, o governo precisa dar exemplo. O INSS vai reformar mil prédios já com base nos novos parâmetros de eficiência energétíca. As edificações públicas representam 2,7% do consumo nacional de eletricidade. A União fica com 45% desse total. Por isso, o governo vai tornar a compra de equipamentos eficientes (selo A do Procel) uma obrigação em licitaçãoes: - Na Esplanada dos Ministérios, os prédios têm problemas, pois são tombados e esstão obsoletos.
Entre as ações, incentivo ao uso de energia solar
Meta é elevar para 3,4 milhões total de casas com a tecnologia
A energia solar tam bém será uma das armas utilizadas pelo governo na briga para poupar eletricidade. Na terça-feira, Caixa Econômica Federal (CEF), Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), fabricantes e Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel) fazem a primeira de uma série de reuniões para traçar ações de incentivo ao uso da luz natural como insumo de eletrodomésticos e máquinas industriais. Subsídios para a instalação de equiparnentos e ampliação de linhas de financiamento serão estudados.
Segundo Paulo de Tarso Cruz, coordenador-geral de Eficiência Energética do Ministério de Minas e Energia, serão alvos do plano quatro grupos de consumidores: a classe média, a baixa renda, a indústria e a rede de hotéis e pousadas. A meta é aumentar, por exernplo, em quase seis vezes, até: 2015, o número de domicílios que contam com aquecimento solar; de 6OO mil para 3,4 milhões. A economia de eletricidade gerada chegaria a mill megawatts no horário de pico, entre 18h e 21h.
Na classe média, o esforço inicial será de publicidade. Explicando que 8% do consumo de energia do Brasil são gerados pelo chuveiro elétrico, haverá propaganda dos equipamentos disponíveis no mercado e dos financiamentos existentes para um banho à energia solar.
Redução de impostos para aquecedor solar
Para a populaçào de baixa renda, haverá subsídio na hora da construção ou reforma, pois a instalação de aquecimento solar pode representar até 7% do valor da casa.
- A Caixa já tem um estudo sobre quanto pode ser concedido para reduzir o custo do rnutuário - disse Cruz.
Já o BNDES poderá aumentar para R$ 1 bilhão o montante de recursos do fundo de aval criado ano passado, com R$ 100 milhões, com o objetivo de financiar a utilização da energia solar pelas indústrias em processos produtivos que envolvam temperaturas muito elevadas.
O grupo de trabalho pretende ainda formar uma parceria com o Ministério do Turismo para incentivar o uso de energia solar na rede hoteleira. Este setor faz uso intensivo de energia, por exemplo, com chuveiros elétricos e aquecimento de água para outros fins. Mas quase nâo é usuário do método alternativo.
O país produz 500 mil metros quadrados (unidade de medida das placas) de coletores solares por ano, isentos de ICMS e IPI. Este último tributo tiimbém não é cobrado na fabricação dos demais produtos usados no aquecimento solar.
- Também queremos trabalhar a questão da redução, além do IPI, de outros impostos na cadeia produtiva do aquecedor solar para realmente o equipamento ficar mals barato - afirmou a diretora do Departamento de Desenvolvimento, Laura Porto.

Fonte: O Globo - 20.01.2208

Raio laser de fibra óptica é melhor, mais barato e permitirá novas aplicações


ICT 21/01/2008

Quando os lasers foram desenvolvidos nos anos 1960, eles eram uma solução procurando por um problema para resolver. Desde então, eles se tornaram uma ferramenta essencial em áreas tão diferentes quanto as da nanotecnologia e da biomedicina.
Lasers de fibras ópticas
Uma nova geração de lasers de fibras ópticas ultra-rápidos sendo desenvolvida na Europa está criando ainda mais usos para esses feixes de luz de alta intensidade e, ao mesmo tempo, baixando seus custos de produção e manutenção e aumentando sua eficiência.
Até hoje, muitos lasers comerciais ultra-rápidos - do tipo que emite luz em pulsos curtos para aplicações industriais ou para espectroscopia - têm sido baseados na tecnologia de estado sólido, utilizando componentes ópticos volumosos. Entretanto, eles têm várias desvantagens, não menos consideráveis do que seu grande tamanho e altos custos de produção e de manutenção - problemas que podem ser resolvidos com a utilização de fibras ópticas, ao invés do ar, para transmitir a luz.
Novas aplicações
"Lasers de fibras podem substituir os lasers de estado sólido na maioria das aplicações, assim como abrir as portas para novas aplicações," explica Mircea Guina, pesquisador da Universidade Tampere, na Finlândia.
Guina é o gerente do projeto Uranus, que está desenvolvendo os lasers de fibras ópticas que deverão permitir a fabricação de equipamentos nanotecnológicos ainda menores do que é possível hoje e permitir a demonstração prática de novas aplicações, como a tomografia de coerência óptica, uma técnica de imageamento digital 3D utilizada na medicina, entre muitas outras aplicações. "Há literalmente centenas de usos," diz ele.
Menor potência
Estas novas aplicações não são o único benefício dos lasers de fibra ultra- rápidos. Em comparação com os lasers de estado sólido, os sistemas de fibras ópticas são mais eficientes e mais baratos de se fabricar. Estima-se que um laser industrial de fibra óptica custe ao redor de US$50.000,00, contra US$150.000,00 dos atuais lasers de estado sólido. "A fibra é muito mais eficiente do que o ar para levar a luz ao seu alvo, de forma que é necessário menos potência para atingir os mesmos resultados que os sistemas de estado sólido. Ela é também mais estável e robusta," diz o cientista.

Do Portal Inovacão Tecnológica http://www.inovacaotecnologica.com.br/index.php em 21/01/2008